domingo, setembro 11, 2005

9/11: Um Longo Dia de Terror


Há quatro anos, os Estados Unidos da América eram vítimas do maior atentado terrorista de que há memória.
Cronologia do ataque terrorista ao WTC e Pentágono:

8h45: Um Boeing 737,da Americain Airlines choca com a torre norte do World Trade Center, em Nova York deixando-a em chamas.
09h03: Um segundo avião, um Boeing 767 da Americain Airlines colide com a torre sul do World Trade Center. Agora as duas torres estão em chamas.
09h18:Todos os aeroportos dos Estados Unidos, numa acção inédita, são fechados.
09h21: Autoridades portuárias da cidade de Nova York fecham todas as pontes e túneis, que dão acesso a Nova York.
09h39: O presidente George W. Bush convoca uma reunião com membros do gabinete de segurança nacional, com a presença do vice-presidente, Dick Cheney, e do governador do Estado de NY, George Pataki.
09h43: Um avião Boeing 757-200 da Americain Airlines colide com o Pentágono, em Washington. O Governo determina evacuação imediata do prédio.
09h45: A Casa Branca é evacuada.
09h51: Administração Federal de Aviação suspende pela primeira vez na história todos os voos para os EUA.
10h00: A torre sul do World Trade Center desaba. Tinha 417 metros de altura.
10h08: Agentes da CIA armam-se e preparam-se para proteger a Casa Branca.
10h10: O voo 93 da United Airlines cai em Somerset County, Pittsburgh, Pensilvânia.
10h13: A sede da ONU é evacuada.
10h22: Em Washington, os Departamentos de Estado e de Justiça são evacuados.
10h24: Administração Federal de Aviação redirecciona todos os voos vindos do exterior para o Canadá.
10h29: A torre norte do World Trade Center desaba provocando uma grande cortina de fumo e de destroços.
10h45: Governo ordena evacuação de todos os escritórios oficiais nos EUA.
10h46: O secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, suspende a sua visita ao Peru.
10h48: Polícia confirma a queda de um avião em Somerset County, Pittsburgh, Pensilvânia.
11h02: O “Mayor” de Nova York, Rudolph Giuliani, pede que a população se mantenha em casa e ordena a desocupação de áreas no sul da cidade.
11h16: O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças prepara equipas especializadas em bio-terrorismo, como medida de precaução. O centro informa, no entanto, que não há nenhuma denúncia de ataques do tipo.
11h18: A American Airlines informa a queda de dois aviões da empresa: um Boeing 767, de Boston para Los Angeles, com 81 passageiros a bordo e 11 tripulantes; e um Boeing 757, de Washington para Los Angeles, com 58 passageiros e seis tripulantes.
11h20: O editor da sucursal de Londres de um jornal árabe afirma que o terrorista Osama bin Laden havia alertado, há três semanas, que ele e seus partidários fariam um ataque sem precedentes aos Estados Unidos.
11h26: A United Airlines informa que o voo 93 da companhia, vindo de Newark rumo a São Francisco , caiu na Pensilvânia. Informações não oficiais revelam que o avião foi abatido.
11h53: Eleições primárias em Nova York são adiadas.
1h54: Israel evacua todos os escritórios diplomáticos do país nos EUA.
11h59: A United Airlines confirma a queda do vôo 175, de Boston para Los Angeles, com 56 passageiros a bordo. Há informações de que todos morreram na queda.
12h15: O Serviço de Imigração decreta alerta máximo nas fronteiras dos EUA com o Canadá e com o México.
12h15: O Aeroporto Internacional de São Francisco é evacuado e fechado. O aeroporto era o destino do voo 77 da American Airlines que chocou com o World Trade Center.
12h30: A FAA (Administração Federal de Aviação) informa que 50 voos estão sobre os EUA no momento, mas nenhum deles apresenta problemas.
13h04: O presidente George W. Bush faz discurso em local desconhecido, anunciando que o governo não poupará esforços para capturar o responsável pelos atentados.
13h27: É declarado estado de emergência na cidade de Washington.
13h44: O Pentágono informa que cinco navios e dois aviões deixarão a estação naval dos EUA, no Estado da Virgínia, para assumirem posições na costa de Nova York. Os navios e aviões aumentarão as defesas das cidades de Nova York e de Washington.
13h48: O presidente dos EUA, George W. Bush, embarca no avião presidencial, Força Aérea 1, rumo a local não divulgado.
14h21: Grupos muçulmanos negam a autoria dos atentados.
14h49: Cuba condena os atentados e abre aeroportos para aviões desviados dos EUA pousarem.
15h: O “Mayor” de Nova York, Rudolph Giuliani, afirma que primeiras informações sobre mortos só sairão após 24 horas.
15h30: O congressista americano Jim Moran diz que o número de mortos pode chegar a 10 mil, somente em Nova York. O Departamento de Polícia não confirma esses números.
15h57: O temor provocado pelos ataques terroristas fazem o preço do petróleo e do ouro fechar em alta.
16h01: As Actividades desportivas são suspensas nos EUA.
16h06: O governo da Califórnia envia equipas de socorro e de buscas para a cidade de Nova York para auxiliar as forças locais nos resgates de vítimas dos escombros do World Trade Center.
16h20: EUA confirmam o terrorista Osama Bin Laden como o principal suspeito da série de atentados. Israel fecha fronteiras com Egito e com a Jordânia.
16h21: Por causa de atentados, a cotação do dólar dispara.
16h27: Novo edifício do complexo do World Trade Center começa a arder.
16h36: O subsecretário de Estado dos EUA, Richard Armitage, afirma que inspeccionou o prédio do Departamento de Estado do país e que não houve explosão de carro-bomba.
16h52: Hospitais de Nova York estão superlotados com vítimas do atentado ao World Trade Center.
16h59: O hotel Marriot, em Nova York, que fica dentro do complexo de prédios do Word Trade Center ficou com a sua estrutura bastante danificada por causa da queda dos 110 andares das duas torres. Há riscos de desabamento.
17h09: O ex-presidente dos EUA Bill Clinton, que está na Austrália, pede apoio dos americanos às medidas que o presidente George W. Bush irá tomar.
17h16: Atentados provocam congestionamento na Internet.
17h28: Edifício número sete do complexo World Trade Center desaba. Prédio número cinco começa a arder.
17h37: A americana Barbara Olson, 46, que estava em um dos aviões sequestrados que se chocou contra o World Trade Center, teria feito duas ligações para seu marido do próprio avião para avisar do sequestro.
17h57: Colónia árabe dos EUA teme represálias por causa de atentados.
17h58: Ameaça de bomba no Parlamento canadiano. Governo determina interdição do aeroporto de Ottawa.
18h05: A Disney anuncia o fecho de todos os seus parques nos EUA.
18h07: Uma explosão é registada na cidade de Cabul (capital do Afeganistão). Há suspeitas de que possa ser uma retaliação dos EUA ao país.
18h22: O governo anuncia que todas as autoridades dos EUA deixarão Washington e ficarão em locais não revelados, por medida de segurança. Bush ficará na capital para fazer um discurso ao País.
18h24: A UE (União Europeia) convoca reunião de emergência para debater medidas de segurança.
18h28: A United Airlines identifica os passageiros dos seus voos.
18h39: A NASA suspende os seus trabalhos e também evacua seu edifício.
18h40: Governo dos EUA negam ter atacado o Afeganistão como represália aos ataques terroristas que assolaram o país hoje.
18h58: Bush afirma que responsáveis pelos ataques “vão sofrer as consequências”.
19h23: Liga do Norte assume ataques na capital do Afeganistão. O grupo é oposição ao Regime Taliban.
20h24: FBI pede ajuda à população para encontrar os responsáveis pelos ataques e cria número de telefone e página na Internet para receber denúncias.
20h45: O presidente americano George Bush faz um discurso à nação em que promete encontrar os responsáveis pelos ataques e diz que amanhã os EUA voltam ao trabalho.
22h44: Após 12 horas da queda da primeira torre do WTC, o chefe de polícia de Nova York afirma que há sobreviventes entre os escombros.
22h50: Os primeiros números informam que pelo menos 800 pessoas teriam morrido no prédio do Pentágono.
22h52: A Polícia de Nova York intercepta um camião carregado de explosivos na ponte George Washington.

1 comentário:

ARMANDO EDSON disse...

Este artigo repete as idiotices dos jornais que encobriram a farsa da demolição criada pela CIA e o MOSSAD de Israel, para incriminar o mundo islâmico, tal como deixou claro o Presidente Italiano para todo mundo ouvir. Este atentado criminoso contra a liberdade de informação da opinião pública lembra Moisés e Josué (bíblicos) e seus seguidores que exterminavam a fio de espada toda a população que encontrassem pelo caminho, a mando de seu deus Javé exterminador. É só ler o livro do Êxodo e de Josué para começar.