domingo, Agosto 17, 2008

Michael Phelps: o Maior Atleta Olímpico de Todos os Tempos


O maior atleta olímpico de todos os tempos, nasceu em Baltimore, E.U.A., a 30 de Junho de 1985, de seu nome completo Michael Fred Phelps II. Filho de um polícia, Fred Phelps e de uma professora, Debbie Davisson Phelps, o bebé Michael cresceu em contacto com a água; a sua mãe, deixava-o num carrinho de bebé na beira da piscina enquanto as suas irmãs mais velhas, Whitney e Hilary treinavam. Aprendeu a nadar aos 7 anos, no mesmo ano em que os seus pais se divorciaram. Aos 11, bateu o recorde dos Estados Unidos nos 100m mariposa para a sua idade, chamando, dessa forma, a atenção do técnico Bob Bowman. Nesse mesmo ano, 1996, Bowman impressionado com o rapaz chamou-o para o North Baltimore Aquatic Club e traçou um plano para treiná-lo para os Jogos Olímpicos até 2012.
Estreou-se aos 15 anos nos Jogos Olímpicos de Sydney em 2000, tendo obtido o quinto lugar na final dos 200m mariposa. Cinco meses após a sua estreia nuns Jogos Olímpicos, aos 15 anos e 9 meses de idade, bate o recorde desta mesma prova, nos Mundiais de Natação de Fukuoka em 2001, tornando-se o mais jovem nadador de todos os tempos a bater um recorde mundial de natação. Começava desta forma a lenda da natação mundial.
Michael Phelps chega aos Mundiais de Natação de Barcelona em 2003, com a tenra idade de 18 anos mas com a esperança de não deixar os seus créditos, por braçadas alheias. Saiu do certame com quatro medalhas de ouro, nos 200 metros mariposa, 200 metros estilos, 400 metros estilos e estafeta 4x100 estilos e com outros tantos recordes mundiais.
Um ano depois, tornou-se o primeiro nadador a qualificar-se em seis provas individuais para uma edição dos Jogos Olímpicos. Em Atenas, impressionou todo o mundo ao estabelecer novos recordes e subir ao pódio por oito vezes.
Michael Phelps, que tinha apenas 19 anos em 2004, não podia ter começado melhor a sua participação nos Jogos Olímpicos de Atenas, a 14 de Agosto de 2004, ao ganhar a medalha de ouro dos 400 metros estilos, batendo o recorde mundial da distância, fixando-o em 4m8,26s. Os restantes lugares do pódio foram ocupados pelo também norte-americano Erik Vendt (4m11s81) e pelo húngaro Laszlo Cseh (4m12s15).Phelps conquistou, desta forma, a sua primeira medalha olímpica em Atenas, num total de oito provas em que competiu.
A 15 de Agosto de 2004, disputou-se a final da estafeta dos 4x100m livres, ganha pela selecção da África do Sul, que estabeleceu um novo recorde do mundo, com o tempo de 3m13,17s. A Austrália foi medalha de prata e os Estados Unidos medalha de bronze. O terceiro lugar conquistado pela equipa norte-americana deitou por terra a ambição de Phelps de bater o recorde de sete medalhas de ouro conquistadas pelo também norte-americano Mark Spitz, nos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972.
A 16 de Agosto de 2004, Ian Thorpe, retirou a possibilidade a Michael Phelps de igualar a marca de Mark Spitz nos Jogos Olímpicos de Munique, ao vencer a prova dos 200m livres, com o tempo 1m44,71 s. O holandês Pieter van den Hoogenband, campeão olímpico em Sydney, foi segundo e Phelps terceiro.
A 17 de Agosto de 2004, o jovem prodígio de Baltimore regressa à piscina para ganhar mais duas medalhas de ouro no espaço de uma hora. Primeiro batendo toda a concorrência na final dos 200m mariposa, distância de que é recordista mundial, fixando um novo máximo olímpico (1m54,01s), depois integrando a equipa norte-americana na estafeta dos 4x200m livres com o tempo de 7.07,33 minutos. A Austrália, com 7.07,46 minutos, e a Itália, com 7.11,83, conquistaram as medalhas de prata e bronze, respectivamente.
A 20 de Agosto de 2004, Michael Phelps conquistou a quinta medalha de ouro na final masculina de 100 metros mariposa, com o tempo de 51,25 segundos (novo recorde olímpico) e anuncia que abdicou de participar na prova de 4x100m estilos, a favor do nadador Ian Crocker, alegando que os Estados Unidos chegaram a Atenas como equipa e que vão sair de Atenas também como equipa. A equipa dos Estados Unidos ganhou a medalha de ouro, e como Michael Phelps tinha participado nas eliminatórias, automaticamente ganhou a medalha de ouro, a sexta nos Jogos Olímpicos de Atenas.
Com as oito medalhas conquistadas, em Atenas, Michael Phelps tornou-se o atleta com maior número de medalhas ganhas numa única Olimpíada, quebrando o recorde que pertencia a Alexander Dityatin desde os Jogos Olímpicos de Moscovo.
Os seus títulos internacionais e os seus vários recordes mundiais, fizeram com que ele fosse designado o Nadador do Ano por três vezes, em 2003, 2004, e 2006.
Em Novembro de 2004, o menino exemplar foi preso por conduzir com álcool na sua cidade natal, Baltimore.
A multa foi a bagatela de 310 dólares, mas o facto foi empolado pelos jornais, numa altura em que Michael Phelps colhia os louros pela sua excelente prestação em Atenas. Phelps teve de comparecer a uma aula sobre condução e alcoolismo e fazer trabalho social, dando palestras a estudantes sobre os perigos do álcool e das drogas ilegais.
Nos Mundiais de Natação de Montreal em 2005, Michael Phelps junta mais cinco medalhas de ouro ao seu currículo: medalhas de ouro, nos 200 metros livres, 200 metros estilos, estafeta 4x100 livres, estafeta 4x200 livres, estafeta 4x100 estilos.
Em 2007 Michael Phelps partiu para os Mundiais de Natação em Melbourne com o sonho de conquistar oito medalhas de ouro, mas o seu compatriota, Ian Crocker, fez uma falsa partida que desqualificou a equipa de estafeta americana de 4x100 metros estilos nas eliminatórias, levando o “Baltimore Kid” a adiar o sonho.
Phelps "apenas" ganhou sete medalhas, igualando assim a proeza do seu compatriota Mark Spitz. Michael Phelps venceu as sete finais em que participou, um resultado ainda melhor do que o de Mark Spitz nos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, pois conquistou cinco títulos individuais em Melbourne, enquanto Spitz só ganhou quatro.
Nestes Mundiais, Phelps, que na altura tinha 21 anos, tornou-se o nadador com mais medalhas na história dos Mundiais (20) de natação. Ultrapassou também o australiano Ian Thorpe, já retirado, que venceu seis provas em Fukuoka, em 2001.
Em Melbourne, Phelps foi o primeiro nos 200 livres, 100 e 200 mariposa, 200 e 400 estilos, individualmente, a que juntou os títulos colectivos das estafetas de 4x100 e 4x200 livres, integrado na equipa dos Estados Unidos.
O corpo de Michael Phelps foi moldado para viver na água; têm uns braços extremamente compridos - a distância entre uma mão e outra, quando está de braços abertos, é maior que a altura de seu corpo - que garantem braçadas excepcionalmente fortes. Além disso, Michael Phelps possui pernas curtas, que oferecem menor resistência à água e auxiliam na flutuação. Quando está fora da água, o nadador parece um “pinguim”.
Em Janeiro, deste ano, Michael Phelps seguiu para o Centro de Treino Olímpico, dos Estados Unidos para um mês de preparação. Nadou cerca de 12 a 16 quilómetros por dia, combinando a rotina da natação com musculação, exercícios cardio-respiratórios e, principalmente, treinos para grandes altitudes. A rotina normal de treino de Michael Phelps inclui, além das piscinas, musculação todas as manhãs e exercícios específicos de preparação física, dentro e fora da água.
Este intensivo treino, tem apenas um objectivo: conquistar as oito medalhas de ouro com que sonha nos Jogos Olímpicos de Pequim e superar a marca histórica do nadador americano Mark Spitz, que conquistou sete medalhas de ouro nos Jogos de Munique, em 1972.
No dia 9 de Agosto, Michael Phelps começou da melhor maneira a sua participação nas Olimpíadas de Pequim ao vencer a medalha de ouro dos 400 metros estilo com o tempo recorde de 4:03:84 que passa a constituir novo máximo mundial.
No dia 11 de Agosto, na prova mais espectacular, até agora, de natação destes Jogos Olímpicos, Michael Phelps manteve vivo o sonho de bater o recorde de Mark Spitz ao vencer a final da estafeta dos 4x100m livres. Com uma incrível ultrapassagem nas últimas braçadas, a equipa dos Estados Unidos garantiu a vitória e bateu o recorde mundial com o tempo de 3m08s24, uns incríveis 3s99 abaixo da anterior marca, conquistada na véspera pelos próprios EUA, com a equipa de reserva.
Michael Phelps, Garrett Weber-Gale, Cullen Jones e Jason Lezak foram os nadadores que conseguiram a façanha.
No dia 12 de Agosto de 2008, Michael Phelps conquistou mais uma medalha de ouro com recorde mundial em Pequim, e entrou de vez para a história dos Jogos Olímpicos. O nadador de Baltimore venceu a final dos 200m livres, realizada no Cubo de Água, com o tempo de 1m42s96, e igualou o recorde histórico de nove medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos.
Com nove medalhas de ouro, Michael Phelps igualou o recorde de Carl Lewis (atletismo, em quatro J.O.), Mark Spitz (natação, em dois J.O.), Paavo Nurmi (atletismo, em três J.O) e Larissa Latynina (ginástica, em três J.O). O nadador americano, também se tornou o atleta que mais vezes estabeleceu recordes mundiais. Até ao momento, Michael Phelps já estabeleceu 24 novos recordes mundiais.
No dia 13 de Agosto, o “Baltimore Kid” tornou-se no atleta com maior número de medalhas de ouro em Jogos Olímpicos, depois de ganhar mais duas em Pequim. O nadador norte-americano bateu o recorde de medalhas de ouro ao vencer as finais dos 200m mariposa e da estafeta 4x200m livres com mais dois recordes mundiais (1m52s03 e 6m58s56), na piscina do Cubo de Água, em Pequim.
Com onze medalhas de ouro em três Olimpíadas (Sydney 2000, Atenas 2004 e Pequim 2008), Michael Phelps supera as nove medalhas douradas conquistadas por Carl Lewis, Mark Spitz ,Paavo Nurmi e Larissa Latynina.A juntar a estas onze medalhas já conquistadas há o facto de cada vez que Michael Phelps entra na água, bater mais um recorde mundial. Neste momento já bateu por 26 vezes os recordes mundiais nas diferentes categorias.

Aos onze títulos de Michael Phelps há que juntar ainda as duas medalhas de bronze conquistadas em Atenas. Com treze medalhas olímpicas no total, Michael Phelps pode ainda bater o recorde, de atleta masculino com mais medalhas olímpicas, detido pelo ginasta soviético Nikolai Andrianov, vencedor de 15 medalhas (sete de ouro, cinco de prata e três de bronze, em Munique 1972, Montreal 1976 e Moscovo 1980).
Depois de um dia de descanso, Michael Phelps entra novamente em acção a 15 de Agosto, para conquistar a sua sexta medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim, ao vencer a final dos 200 metros estilos e com novo recorde Mundial. Michael Phelps consegue um pleno: seis finais, seis medalhas, seis recordes do mundo.
O “Baltimore Kid” cumpriu a prova em 1m54,23s e melhorou em 57 centésimos de segundo o anterior recorde (1m54,80s), que já lhe pertencia e tinha sido estabelecido a 4 de Julho de 2008, em Omaha, Estados Unidos.
A medalha de prata foi para o húngaro Laszlo Cseh, que nadou em 1m56,52s, enquanto o também norte-americano Ryan Lochte foi medalha de bronze com 1m56,53s.
No dia 16 de Agosto, Michael Phelps entra no Cubo de Água, para disputar os 100 m mariposa, a única distância em que compete que não é recordista mundial. O recorde da distância pertence ao seu compatriota, amigo e rival, Ian Crocker.
Era a prova de fogo rumo à conquista das almejadas oito medalhas nos Jogos. Após uma emocionante final, Michael Phelps vence a sua sétima medalha, com o recorde olímpico de 50s58, com uma vantagem de apenas um centésimo de segundo, sobre o nadador sérvio Milorad Cavic, antigo recordista olímpico.
Ian Crocker, recordista mundial da distância, que era considerado como o único capaz de travar Michael Phelps rumo à conquista das oito medalhas de ouro, quedou-se pelo quarto lugar a um centésimo do australiano Andrew Lauterstein.
Com esta vitória Michael Phelps igualou o recorde de 36 anos do seu compatriota Mark Spitz e também, o recorde de atleta masculino com mais medalhas olímpicas, detido, até hoje, pelo ginasta soviético Nikolai Andrianov, vencedor de 15 medalhas (sete de ouro, cinco de prata e três de bronze, em Munique 1972, Montreal 1976 e Moscovo 1980).
No último dia da natação nestes Jogos Olímpicos, 17 de Agosto de 2008, Michael Phelps entrou no Cubo de Água, com um único objectivo: ganhar a sua oitava medalha de ouro e bater o mítico recorde do seu compatriota Mark Spitz, conseguido nos Jogos de Munique em 1972.
Phelps venceu.
Na equipa norte-americana de estafeta dos 4x100 metros estilos, Michael Phelps nadou o terceiro percurso (mariposa), depois de Aaron Peirsol (costas) e Brendan Hansen (bruços), e passou a equipa do terceiro para o primeiro lugar, que Jason Lezak (livres) não deixou fugir. No final a equipa americana registava um novo máximo mundial com o tempo 3m29,34s, o vigésimo sétimo recorde mundial da sua carreira.
Com esta vitória, Michael Phelps passou a somar 14 medalhas de ouro olímpicas (ganhou seis em Atenas 2004), reforçando um recorde que havia batido a 13 de Agosto.
Também, com a medalha esta medalha (16 medalhas olímpicas no total), Phelps passou a ser o atleta masculino mais medalhado de sempre, estando, em absoluto, no segundo lugar a duas medalhas da ginasta soviética Larissa Latynina, que em três participações olímpicas (1956, 1960 e 1964), subiu 18 vezes ao pódio, recebendo 9 medalhas de ouro, 5 de prata e 4 de bronze. Um registo a bater nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012.
O mito Phelps ganhou nestes Jogos Olímpicos os 400 estilos (4m03,84s), os 4x100 livres (3m08,24s), os 200 livres (1m42,96s), os 200 mariposa (1m52,03s), os 4x200 livres (6m58,56s) e os 200 estilos (1m54,23s) e os 4x100 metros estilos (3m29,34s) todas estas vitórias com recordes mundiais, e os 100 mariposa (50,58s), com recorde olímpico.
Phelps Suspenso por 3 Meses
(Fontes: Wikipédia, Lusa, O Globo, Site Oficial de Michael Phelps, DN e Público).

Sem comentários: